Cogite...

..."O mais importante é aprender a não se perder" p.15. Zen e a Arte da Manutenção de Motocicletas de Robert M. Pirsig

Uma didática da Invenção VII - Manoel de Barros

quinta-feira, 17 de junho de 2010

No descomeço era o verbo.
Só depois é que veio o delírio do verbo.
O delírio do verbo estava no começo, lá onde a
criança diz: Eu escuto a cor dos passarinhos.
A criança não sabe que o verbo escutar não funciona
para cor, mas para som.
Então se a criança muda a função de um verbo, ele
delira.
E pois.
Em poesia que é voz de poeta, que é a voz de fazer
nascimentos —
O verbo tem que pegar delírio.

Manoel de Barros

2 comentários:

Ezequiel Almeida disse...

Muito bacana o blog. Está bem organizado e interessante.

Casa do Hippie disse...

inteligencia é pouco, vc foi muito grande nesse verso, parabens!

Abraço,

O Hippie

Postar um comentário